domingo, 12 de julho de 2020

Evangelho: Mateus 10,34-11,1 - 13.07.2020



Aleluia, aleluia, aleluia.

Felizes os que são perseguidos por causa da justiça do Senhor, / porque o Reino dos céus há de ser deles! (Mt 5,10) – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 34″Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer a paz, mas sim a espada. 35De fato, vim separar o filho de seu pai, a filha de sua mãe, a nora de sua sogra. 36E os inimigos do homem serão os seus próprios familiares. 37Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim. Quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim. 38Quem não toma a sua cruz e não me segue não é digno de mim. 39Quem procura conservar a sua vida vai perdê-la. E quem perde a sua vida por causa de mim vai encontrá-la. 40Quem vos recebe, a mim recebe; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou. 41Quem recebe um profeta, por ser profeta, receberá a recompensa de profeta. E quem recebe um justo, por ser justo, receberá a recompensa de justo. 42Quem der ainda que seja apenas um copo de água fresca a um desses pequeninos, por ser meu discípulo, em verdade vos digo, não perderá a sua recompensa”. 11,1Quando Jesus acabou de dar essas instruções aos doze discípulos, partiu daí a fim de ensinar e pregar nas cidades deles. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Não é que Jesus incentive ou declare a guerra. São as pessoas que se dividem em relação ao Reino de Deus. Jesus usa linguagem figurada para mostrar que sua mensagem encontra inimigos. Ele próprio sentiu na pele as agressões e torturas impostas por seus adversários. Morrendo na cruz, entregou sua vida pela salvação da humanidade. O Pai o ressuscitou dos mortos e o fez Senhor de tudo e de todos. Ele é o centro da História e a principal referência a todo ser humano. Ele é o Caminho único que conduz a Pai. Ele é a Verdade que nos revela quem é o Pai e o Espírito Santo. Ele é a Vida e a fonte de vida para todos. O amor dos filhos aos pais não se compara com o amor que se deve a Deus. Ser digno de Jesus é ser fiel a ele, ouvindo e praticando suas palavras.

Oração
Ó Jesus, Caminho único que leva ao Pai, de um lado encontram-se os que te acolhem e seguem; de outro, os que se põem frontalmente contra ti e contra as exigências do Reino. Sobre estes pesa a “espada” do julgamento. Queremos, Senhor, colocar-nos inteiramente a serviço do teu Reino. Amém.

(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))

Fonte https://www.paulus.com.br/




sábado, 11 de julho de 2020

Evangelho: Mateus 13,1-23 ou 1-9 - 12.07.2020



[A forma breve está entre colchetes.]

Aleluia, aleluia, aleluia.

Semente é de Deus a Palavra, o Cristo é o semeador; / todo aquele que o encontra, vida eterna encontrou! (Lc 8,11) – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – [1Naquele dia, Jesus saiu de casa e foi sentar-se às margens do mar da Galileia. 2Uma grande multidão reuniu-se em volta dele. Por isso Jesus entrou numa barca e sentou-se, enquanto a multidão ficava de pé, na praia. 3E disse-lhes muitas coisas em parábolas: “O semeador saiu para semear. 4Enquanto semeava, algumas sementes caíram à beira do caminho, e os pássaros vieram e as comeram. 5Outras sementes caíram em terreno pedregoso, onde não havia muita terra. As sementes logo brotaram, porque a terra não era profunda. 6Mas, quando o sol apareceu, as plantas ficaram queimadas e secaram, porque não tinham raiz. 7Outras sementes caíram no meio dos espinhos. Os espinhos cresceram e sufocaram as plantas. 8Outras sementes, porém, caíram em terra boa e produziram à base de cem, de sessenta e de trinta frutos por semente. 9Quem tem ouvidos ouça!”]

10Os discípulos aproximaram-se e disseram a Jesus: “Por que falas ao povo em parábolas?” 11Jesus respondeu: “Porque a vós foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino dos céus, mas a eles não é dado. 12Pois à pessoa que tem será dado ainda mais, e terá em abundância; mas à pessoa que não tem será tirado até o pouco que tem. 13É por isso que eu lhes falo em parábolas: porque, olhando, eles não veem e, ouvindo, eles não escutam nem compreendem. 14Desse modo se cumpre neles a profecia de Isaías: ‘Havereis de ouvir sem nada entender. Havereis de olhar sem nada ver. 15Porque o coração deste povo se tornou insensível. Eles ouviram com má vontade e fecharam seus olhos, para não ver com os olhos, nem ouvir com os ouvidos, nem compreender com o coração, de modo que se convertam e eu os cure’. 16Felizes sois vós porque vossos olhos veem e vossos ouvidos ouvem. 17Em verdade vos digo, muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes e não viram, desejaram ouvir o que ouvis e não ouviram. 18Ouvi, portanto, a parábola do semeador: 19todo aquele que ouve a Palavra do Reino e não a compreende, vem o maligno e rouba o que foi semeado em seu coração. Esse é o que foi semeado à beira do caminho. 20A semente que caiu em terreno pedregoso é aquele que ouve a Palavra e logo a recebe com alegria; 21mas ele não tem raiz em si mesmo, é de momento: quando chega o sofrimento ou a perseguição por causa da Palavra, ele desiste logo. 22A semente que caiu no meio dos espinhos é aquele que ouve a Palavra, mas as preocupações do mundo e a ilusão da riqueza sufocam a Palavra, e ele não dá fruto. 23A semente que caiu em boa terra é aquele que ouve a Palavra e a compreende. Esse produz fruto. Um dá cem, outro sessenta e outro trinta”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

O capítulo 13 do Evangelho de Mateus apresenta o ensinamento de Jesus sobre a dinâmica do Reino de Deus por meio de parábolas. A primeira parábola é a da semente ou da Palavra, segundo a explicação dada pelo próprio Mestre. A comunidade de Mateus provavelmente se questionava sobre o porquê de o Reino de Deus não se propagar como esperado. Aí a comunidade lembra a parábola de Jesus, na qual os terrenos que acolhem a semente são diferentes: um é duro/pisado, outro é espinhoso, outro é pedregoso e há também o fértil, que produz cem, sessenta e trinta. Portanto, a semente (a Palavra/o Reino) em si tem a força, mas pode não encontrar ambiente propício para frutificar. O semeador não é um incompetente que joga a semente à toa, mas é um “camponês pobre”, que planta no pequeno terreno que lhe resta, depois que se espalhou o latifúndio na Galileia. Assim como a semente, a Palavra de Deus produz resultado se encontra um coração aberto para acolhê-la e um semeador (comunidade) teimoso em lançá-la.

Oração
Ó Jesus, incansável semeador da boa semente, dá-nos a capacidade de entender que nem toda palavra boa cai em coração aberto e receptivo. Tu nos ensinas que o importante é semear a tua Palavra, sem cessar e por toda parte. No tempo e lugar oportunos, os frutos vão aparecer. Amém.

(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)

Fonte https://www.paulus.com.br/




sexta-feira, 10 de julho de 2020

Evangelho: Mateus 10,24-33 - 11.07.2020



Aleluia, aleluia, aleluia.

Felizes sereis vós se fordes ultrajados por causa de Jesus, / pois repousa sobre vós o Espírito de Deus (1Pd 4,14). – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 24″O discípulo não está acima do mestre, nem o servo acima do seu senhor. 25Para o discípulo, basta ser como o seu mestre, e para o servo, ser como o seu senhor. Se ao dono da casa eles chamaram de Belzebu, quanto mais aos seus familiares! 26Não tenhais medo deles, pois nada há de encoberto que não seja revelado e nada há de escondido que não seja conhecido. 27O que vos digo na escuridão, dizei-o à luz do dia; o que escutais ao pé do ouvido, proclamai-o sobre os telhados! 28Não tenhais medo daqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma! Pelo contrário, temei aquele que pode destruir a alma e o corpo no inferno! 29Não se vendem dois pardais por algumas moedas? No entanto, nenhum deles cai no chão sem o consentimento do vosso Pai. 30Quanto a vós, até os cabelos da cabeça estão todos contados. 31Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais. 32Portanto, todo aquele que se declarar a meu favor diante dos homens, também eu me declararei em favor dele diante do meu Pai que está nos céus. 33Aquele, porém, que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante do meu Pai que está nos céus”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Jesus continua dando instruções aos apóstolos e aos cristãos de todos os tempos e lugares. Se o Mestre foi insultado e perseguido, o mesmo acontecerá com seus seguidores: “Se chamaram de Beelzebu ao dono da casa, com que nome haverão de chamar aos familiares dele?”. Tribulações fazem parte da vida cristã. Mas os seguidores de Jesus terão a carinhosa assistência do Pai, que cuida dos passarinhos mais simples; a intervenção do Espírito Santo nos tribunais (cf. Mt 10,20); e a presença confortadora do próprio Jesus: “Eu me declararei por ele diante do meu Pai que está nos céus”. Em tempos de paz ou de perseguição, o evangelho deverá percorrer seu caminho e expandi-se: “O que lhes é dito aos ouvidos, o proclamem sobre os telhados”. “A Palavra de Deus não está algemada” (2Tm 2,9).

Oração
Ó Jesus, nosso Mestre, é possível que, diante de aspectos negativos da missão cristã, teus discípulos tenham ficado assustados. Então os encorajas, afirmando-lhes que nada ficará sem o olhar providente do Pai celeste. Dá-nos perseverar no teu seguimento, Senhor, e recomenda-nos ao Pai. Amém.

(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))

Fonte https://www.paulus.com.br/




quinta-feira, 9 de julho de 2020

Evangelho: Mateus 10,16-23 - 10.07.2020



Aleluia, aleluia, aleluia.

Quando o Paráclito vier, o Espírito da verdade, / ele vos conduzirá a toda a verdade, / lembrar-vos-á de tudo o que eu tenho falado (Jo 16,13; 14,26). – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 16″Eis que eu vos envio como ovelhas no meio de lobos. Sede, portanto, prudentes como as serpentes e simples como as pombas. 17Cuidado com os homens, porque eles vos entregarão aos tribunais e vos açoitarão nas suas sinagogas. 18Vós sereis levados diante de governadores e reis por minha causa, para dar testemunho diante deles e das nações. 19Quando vos entregarem, não fiqueis preocupados de como falar ou do que dizer. Então naquele momento vos será indicado o que deveis dizer. 20Com efeito, não sereis vós que havereis de falar, mas sim o Espírito do vosso Pai é que falará através de vós. 21O irmão entregará à morte o próprio irmão; o pai entregará o filho; os filhos se levantarão contra seus pais e os matarão. 22Vós sereis odiados por todos por causa do meu nome. Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo. 23Quando vos perseguirem numa cidade, fugi para outra. Em verdade vos digo, vós não acabareis de percorrer as cidades de Israel antes que venha o Filho do Homem”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

A missão dos apóstolos vai abalar as bases da sociedade injusta, por consequência vai desencadear também as perseguições. Pessoas aferradas ao poder e à vida luxuosa consideram inimigos os que lhes apontam as injustiças e lhes propõem a partilha dos bens e vida digna para todos. Jesus alerta seus discípulos a tomar cuidado com esses “lobos” prontos para o ataque. São perigosos e traiçoeiros. Entretanto, quando seus seguidores, sob pressão ou tortura, tiverem que dar razão de sua fé ou explicações sobre o bem realizado, fiquem sossegados. As palavras certas vão brotar por obra do Espírito Santo. As tribulações fazem parte do anúncio do evangelho. O Senhor cuidará dos missionários do Reino em todas as circunstâncias. A eles compete “perseverar até o fim”.

Oração
Ó Jesus, divino Mestre, prevines teus discípulos quanto às contrariedades da missão: tribunais, açoites, fugas, prestação de contas diante das autoridades, perseguições e morte por parte até dos familiares. No meio da escuridão, um facho de luz: o Espírito Santo lhes dará toda assistência. Amém.

(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))

Fonte https://www.paulus.com.br/




quarta-feira, 8 de julho de 2020

Evangelho: Mateus 10,7-15 - 09.07.2020



Aleluia, aleluia, aleluia.

Convertei-vos e crede no Evangelho, / pois o Reino de Deus está chegando! (Mc 1,15) – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 7″Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos céus está próximo’. 8Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar! 9Não leveis ouro, nem prata, nem dinheiro nos vossos cintos; 10nem sacola para o caminho, nem duas túnicas, nem sandálias, nem bastão, porque o operário tem direito ao seu sustento. 11Em qualquer cidade ou povoado onde entrardes, informai-vos para saber quem ali seja digno. Hospedai-vos com ele até a vossa partida. 12Ao entrardes numa casa, saudai-a. 13Se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz; se ela não for digna, volte para vós a vossa paz. 14Se alguém não vos receber nem escutar vossa palavra, saí daquela casa ou daquela cidade e sacudi a poeira dos vossos pés. 15Em verdade vos digo, as cidades de Sodoma e Gomorra serão tratadas com menos dureza do que aquela cidade, no dia do juízo”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Aos doze apóstolos Jesus dá orientações bem definidas: anunciar que o Reino de Deus está próximo, curar os enfermos, ressuscitar os mortos, purificar os leprosos e expulsar os demônios. É uma novidade bem-vinda e revolucionária, capaz de desinstalar as estruturas sociais injustas e opressoras. O Reino dos Céus deve abarcar a todos, mas dá preferência aos doentes e marginalizados. O estilo de vida dos missionários deve ser despojado. Sem ostentação ou cobiça: “Deem gratuitamente”. A mensagem é de esperança e de paz. Os destinatários da missão apostólica não podem descuidar o dever sagrado da hospitalidade. E precisam também abrir o coração para a visita de Deus. Se rejeitarem os mensageiros da paz, terão que dar explicação a Deus “no dia do julgamento”.

Oração
Ó Mestre e Senhor, envias em missão teus discípulos, com recomendações precisas: estejam despojados de bens materiais; anunciem que o Reino de Deus já está presente; conscientizem o povo a respeito da própria dignidade e curem os enfermos; sejam promotores da paz; tudo isso com a marca da gratuidade. Amém.

(Dia a dia com o Evangelho 2019 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)

Fonte https://www.paulus.com.br/




terça-feira, 7 de julho de 2020

Evangelho: Mateus 10,1-7 - 08.07.2020



Aleluia, aleluia, aleluia.

Convertei-vos e crede no Evangelho, / pois o Reino de Deus está chegando! (Mc 1,15) – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 1Jesus chamou os doze discípulos e deu-lhes poder para expulsarem os espíritos maus e para curarem todo tipo de doença e enfermidade. 2Estes são os nomes dos doze apóstolos: primeiro, Simão chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João; 3Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o cobrador de impostos; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu; 4Simão, o Zelota, e Judas Iscariotes, que foi o traidor de Jesus. 5Jesus enviou esses doze com as seguintes recomendações: “Não deveis ir aonde moram os pagãos nem entrar nas cidades dos samaritanos! 6Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! 7Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos céus está próximo'”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Jesus chama e envia doze discípulos para continuar sua missão. O número doze evoca as antigas doze tribos de Israel e indica que o novo povo de Deus está nascendo. De diferentes culturas e condições sociais, os Doze formam o núcleo da comunidade de Jesus: fraterna, solidária e aberta para anunciar o evangelho por todo o mundo. As tarefas de Jesus são as dos apóstolos: expulsar espíritos impuros e “curar toda doença e enfermidade”. O que devem anunciar? O Reino de Deus está próximo, isto é, ao alcance dos que o aceitarem. Esse Reino está em contraste com os reinos deste mundo, incluindo o Império Romano e as autoridades de Israel. Portador de vida, o Reino de Deus assume a justiça a favor dos pobres e marginalizados.

Oração
Senhor Jesus, sentes que a missão é imensa e necessitas de colaboradores. Por isso selecionas um pequeno grupo, aos quais dás o nome de apóstolos. Tu os envias a serviço do Reino, com a recomendação de ir primeiro “às ovelhas perdidas da casa de Israel”, talvez por ser obra mais difícil. Amém.

(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))

Fonte https://www.paulus.com.br/




segunda-feira, 6 de julho de 2020

Evangelho: Mateus 9,32-38 - 07.07.2020



Aleluia, aleluia, aleluia.

Eu sou o bom pastor, conheço minhas ovelhas, / e elas me conhecem, assim fala o Senhor (Jo 10,14). – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 32apresentaram a Jesus um homem mudo, que estava possuído pelo demônio. 33Quando o demônio foi expulso, o mudo começou a falar. As multidões ficaram admiradas e diziam: “Nunca se viu coisa igual em Israel”. 34Os fariseus, porém, diziam: “É pelo chefe dos demônios que ele expulsa os demônios”. 35Jesus percorria todas as cidades e povoados, ensinando em suas sinagogas, pregando o Evangelho do Reino e curando todo tipo de doença e enfermidade. 36Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas como ovelhas que não têm pastor. Então disse a seus discípulos: 37″A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. 38Pedi, pois, ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!” – Palavra da salvação.

Reflexão:

Pequeno recorte da atividade missionária de Jesus. Destacam-se: seu ensinamento (v. 35), a cura de “toda doença”, a compaixão pelas multidões “angustiadas e abandonadas”, e a constatação de que o trabalho pelo Reino de Deus é imenso, faltam operários, então é necessário pedir ao Pai celeste que “envie trabalhadores para a sua colheita”. Não obstante o total empenho de Jesus em benefício da população enferma, pobre e oprimida, surgem os fariseus para insultá-lo. Dizem que ele age pelo poder dos demônios. Atribuição ofensiva e descabida. É pelo poder de Deus que Jesus realiza suas obras. A maioria do povo sabe disso e o manifesta: “As multidões ficaram maravilhadas”. Qual é a sua colaboração para fortalecer, no mundo, o Reino de justiça e paz?

Oração
Ó Jesus Messias, enquanto a multidão se maravilha com a cura do mudo, os fariseus te acusam de expulsar demônios pelo poder do chefe dos demônios. A acusação é descabida e maldosa. Sem perder tempo com isso, segues pregando o evangelho do Reino e curando toda enfermidade. Pelo poder de Deus. Amém.

(Dia a dia com o Evangelho 2020 - Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp (dias de semana) Pe. Nilo Luza, ssp (domingos e solenidades))

Fonte https://www.paulus.com.br/